Neurocirurgiã do HSM de Itaquera realiza planejamento inédito em bebês simuladores

 

Há três anos a médica Giselle Coelho, membro da equipe de Neurocirurgia do Hospital Santa Marcelina de Itaquera, realiza com êxito cirurgias de correção Cranioestenose e Hidrocefalia em modelos híbridos (modelos anatômicos dos próprios pacientes customizados a partir das imagens de ressonância magnética e tomografia computadorizada).

De acordo com a neurocirurgiã, os modelos são impressos em 3D e posteriormente são modificados. “Os artistas plásticos adaptam as características específicas da pele, osso e cérebro, podendo apresentar inclusive o efeito de sangramento local”, explica a médica.

Os bebês criados pela médica há seis anos, são simuladores ultrarrealistas de cirurgia e produzidos com tecnologia 100% nacional. Os modelos permitem o treinamento das técnicas cirúrgicas clássicas e minimamente invasivas, além das simulações de diversas complicações, inclusive com sangramentos.

“Os bebês simuladores têm o papel fundamental na redução de erros da curva de aprendizado dos jovens médicos, devido a possibilidade de repetição do procedimento quantas vezes forem necessárias até chegar ao sucesso, garantindo assim mais segurança aos pacientes reais. Além de se tornar uma ferramenta valiosa de supervisão  e certificação do jovem neurocirurgião”, explica a especialista.

A médica neurocirurgiã, participou do planejamento de uma cirurgia de separação das gêmeas siamesas. As irmãs Mel e Lis nasceram unidas pela cabeça e o planejamento ocorreu no dia 27/04/2019 no Hospital da Criança de Brasília.

A especialista foi a única brasileira a ganhar o Prêmio “Jovem Neurocirurgião”, da “World Federation for Neurosurgical Societies” (WFNS) em 2015 com o projeto de simuladores mistos  (virtuais e realísticos) e sua aplicação em Neurocirurgia Pediátrica.

Atualmente, o desenvolvimento do projeto conta com constantes atualizações para obter o máximo realismo, com importante apoio científico do Instituto EDUCSIM.