Hanseníase – Janeiro Roxo

Considerada uma das doenças mais antiga da humanidade, a hanseníase tem cura, mas ainda representa um problema de saúde pública no Brasil. Mas afinal, o que é a hanseníase?
A doença é infectocontagiosa de evolução crônica e aparece principalmente por meio de lesões na pele e sintomas neurológicos. As manchas possuem pigmentações claras, róseas ou avermelhadas no corpo, normalmente está relacionada com a diminuição ou ausência de sensibilidade ao calor, frio ou ao tato. Também podem aparecer caroços na pele, dormências, diminuição de força e inchaços nas mãos e nos pés, formigamentos ou sensação de choque nos braços e nas pernas, entupimento nasal e problemas nos olhos.
O Brasil é o segundo país com o maior número de casos novos de hanseníase diagnosticados anualmente, sendo ultrapassado apenas pela Índia. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2017, 150 países contabilizaram 210.671 novos casos da doença, o que corresponde a 2,8 casos a cada 100 mil habitantes. No Brasil, no mesmo ano, foram detectados 26.875 casos novos, o que expressa 12,9 casos a cada 100 mil habitantes. No entanto, há uma desigualdade dos números em algumas regiões do país. Os estados do Mato Grosso, Tocantins, Maranhão, Pará, e Piauí são os que apresentam os maiores índices de casos da doença.
Ao suspeitar dos sintomas, procure uma unidade de saúde da família mais próxima ou um as unidades de saúde do SUS.

#JaneiroRoxo #Hanseníase