Programa de Telemedicina

Telemedicina melhora o tempo de resposta dos serviços de emergência para infarto na Rede de Saúde Santa Marcelina

Quando se trata de atendimento médico de emergência, cada minuto é fundamental para salvar vidas ou diminuir as sequelas de um mal súbito. O imediatismo se torna ainda mais crucial quando se trata de um caso de infarto do miocárdio.

Segundo especialistas, o tempo ideal de atendimento para uma pessoa que está sofrendo de ataque cardíaco até o tratamento deve ser de aproximadamente 90 minutos, para que não haja consequências mais graves.

Graças a um avançado e moderno programa de Telemedicina, a Rede de Saúde Santa Marcelina tem conseguido realizar o tratamento em até 58 minutos, metade do tempo estipulado.

COMO FUNCIONA 

A Telemedicna conecta unidades de saúde a centros de tratamento estrategicamente localizados em toda a América Latina. Os operadores de serviços de urgência estão equipados com um eletrocardiógrafo de 12 derivações, usado para detectar e diagnosticar anormalidades cardíacas, medindo impulsos elétricos.

Outro ponto importante da Telemedicina é o treinamento avançado dos médicos de emergência e equipe de enfermagem, que transmite o resultado de um eletrocardiograma (ECG), além de outros dados médicos (por exemplo a história e os fatores de risco para infarto) a um cardiologista remoto que pode fornecer um diagnóstico mais preciso e em tempo real. O especialista pode recomendar um tratamento pré-hospitalar, reduzindo os tempos entre a entrada do paciente e a o início do tratamento.

O cardiologista intervencionista pode inclusive aconselhar por telefone a unidade de tratamento qual a melhor estratégia de tratamento do infarto agudo do miocárdio, que representa hoje a principal causa de morte por doenças adquirida no Brasil e no mundo.

Os Hospitais Itaim Paulista, Itaquaquecetuba e Cidade Tiradentes, bem como as Unidades da APS – UPA Itaquera, Pronto-Atendimento Atualpa Girão Rabelo, Pronto-Socorro Municipal Julio Tupy, UPA Itaquaquecetuba e o PA Glória, além do próprio convênio do Hospital Santa Marcelina, já fazem parte do programa e estão equipados com o eletrocardiograma da Telemedicina.

Sempre que um paciente der entrada com dor torácica  o médico responsável pelo atendimento pode utilizar do sistema de Telemedicina e enviar o exame para um cardiologista da Telemedicina localizado em Uberlândia, que fará recomendação do tratamento em tempo mínimo, em menos de 10 minutos (a maioria em menos de 5 minutos).

Para os casos mais graves, por exemplo, de um infarto do miocárdio, esse paciente será encaminhado imediatamente para o centro de tratamento referenciado da LATIN, no caso o Hospital Santa Marcelina de Itaquera, que tem um Serviço de Hemodinâmica com equipe pronta para atender todos os dias e todos os horários.

PLANTONISTAS RECEBEM ALERTAS 

Assim que diagnostica uma ocorrência grave o programa envia um alerta para os médicos plantonistas do serviço de hemodinâmica do Hospital Santa Marcelina de Itaquera para que estejam preparados para receber de prontidão o paciente e já iniciar os procedimentos necessários.

É por conta desta agilidade para atendimento e início do tratamento que a Telemedicina tem demonstrado ser uma alternativa efetiva para reduzir a mortalidade (antes de 11% na Zona Lesta de São Paulo para 6,8%) e, baixar os custos hospitalares, evitando o uso de medicações outrora utilizadas nestes pacientes para dissolver o coágulo que obstrui a artéria coronária (chamadas trombolíticos), visto que os pacientes na sua maioria vão diretamente para a abertura mecânica da artéria relacionada ao infarto, procedimento este chamado angioplastia primária,

A Rede de Saúde Santa Marcelina foi a pioneira no Brasil a fazer o uso de Telemedicina.

BALANÇO POSITIVO

Desde abril de 2014, quando foi iniciado na Rede de Saúde Santa Marcelina, a Telemedicina já atendeu em torno de 133 mil pacientes, dos quais mais de 600 foram identificados com infarto agudo do miocárdio e tratados. “Hoje, este programa já é uma realidade no Santa Marcelina, mas a intenção é a de que ele seja ampliado para todo o território nacional”, afirma o Dr. Jamil Ribeiro Cade, cardiologista intervencionista e coordenador do Serviço de Hemodinâmica do Hospital Santa Marcelina de Itaquera.

Telemedicina Santa Marcelinha é destaque na mídia

A Telemedicina no Infarto Agudo. A comunicação que acelera o acesso à saúde e prolonga a vida.

LATIN é destaque mundial no tratamento de pacientes por infarto

Revista Conexão – Agosto/Setembro 2015

Revista Conexão – Setembro/Outubro 2017

Dia Mundial do Coração e a prevenção de doenças cardiovasculares
Veículo: Rede Brasil – Programa “A Tarde é Show” com Nani Venâncio

Telemedicina é usada no SUS para rastrear casos de enfarte
Veículo: Estadão

Paciente 3.0 exige mais dos médicos
Veículo:Jornal O TEMPO – Belo Horizonte

Academia Médica
Tecnologia como Acesso à Saúde