Saiba como manter o seu Rim saudável

Estamos em março e no dia 9 comemoramos o Dia Mundial do Rim, que tem o objetivo de alertar a todos sobre os riscos de se prevenir a insuficiência renal.

Neste ano, a SBN – Sociedade Brasileira de Nefrologia destaca a OBESIDADE como um fator de risco importante, principalmente porque predispõe a hipertensão artéria crônica e o diabetes que são doenças que favorecem o quadro de insuficiência renal.

Fatores que favorecem a insuficiência renal:

  • Hipertensão Arterial
  • Diabetes
  • Histórico de familiares com doença renal crônica
  • Tabagismo
  • Doenças cárdicas e vasculares
  • Idade superior a 50 anos

Como saber se os meus rins estão funcionando bem?
A doença renal e uma doença silenciosa que muitas vezes quando aparece sintomas pode estar em um estágio bem avançado, por isso é importante fazer exames frequentes de sangue e urina para avaliar se a função renal está bem.

Confira alguns sintomas que podem indicar que os seus rins não estão funcionando bem:

  • Pressão alta e diabetes
    • Aparecimento de inchaço ao redor dos olhos e nas pernas
    • Fraqueza constante
  • Náuseas e vômitos frequentes
  • Dificuldade em urinar ou mesmo dor ou queimação com diminuição da quantidade de urina
  • Aumento na vontade de urinar, principalmente à noite
  • Presença de sangue e ou espuma na urina
  • Dor lombar com característica de cólica, que não piora com movimentos
  • Histórico de pedras nos rins

Como perceber que preciso procurar um especialista.

  • o acompanhamento com o médico clinico regulamente é imprescindível para detectar sinais de doença renal, principalmente se já existe uma história familiar de doença renal crônica ou se é portador de diabetes, pressão alta e pedra nos rins. Os exames solicitados são muito simples: sangue e urina.
  • no sangue é medido a creatinina que indica como está o funcionamento dos rins. Quando o índice está acima do valor de referência é um indicativo de que os rins não estão funcionando adequadamente
  • na urina pode-se evidenciar presença de sangue, perda de proteína e infecções.

A obesidade é um fator de risco para a insuficiência renal? Porque?

No Brasil assim como no mundo a Obesidade vem crescendo rapidamente. Mais da metade da população brasileira apresenta excesso de peso, ou seja, 58 milhões de brasileiros, incluindo crianças e adolescentes. Este fato está relacionado principalmente aos maus hábitos alimentares e sedentarismo.

A obesidade está associada a uma serie de agravantes na saúde, principalmente aos problemas ortopédicos, câncer, doenças cardíacas, diabetes e hipertensão arterial, sendo essas duas últimas as principais causas de insuficiência renal e futura necessidade de Hemodiálise.

Quais exames de rotina são necessários para identificar o bom funcionamento do rim?

São exames muito simples de sangue, onde avalia-se a creatinina e exame de urina. Se possível vale a pena para complementação um ultrassom dos rins.

Para que o meu rim funcione bem é necessário seguir uma dieta específica?
Uma dieta saudável pobre em alimentos processados, com pouco sal rica em frutas e verduras é o ideal tanto para combater tanto a Obesidade quanto prevenir outras doenças. Se você for diabético é importante ter um controle bem adequado da glicose no sangue, assim como manter uma dieta bem equilibrada, evitando o açúcar

Como cuidar do meu rim e prevenir uma insuficiência renal

O cuidado com a saúde é fundamental para manter seus rins saudades. Se você já é portador de insuficiência renal as medicações prescritas pelo médico e nutricionista devem ser seguidas rigorosamente para evitar a progressão da doença. Recomenda-se fazer exames regulamente de sangue e urina principalmente se existe fator de risco para doença renal.

Dicas de ouro para evitar doenças renais:

  • Praticar exercícios físicos regulares
  • Evitar o excesso de sal, carne vermelha, gorduras e produtos ultra processados
  • Controle de peso corporal
  • Controle da pressão arterial com uso, se necessário de medicação adequada
  • Controle do colesterol e da glicose
  • Não fumar
  • Não abusar de bebida alcoólica
  • Evitar o uso de anti-inflamatórios não hormonais
  • Beber bastante agua
  • Realizar, uma vez por ano, exames laboratoriais para avaliar a saúde dos rins: dosagem de creatinina no sangue e análise de urina
  • Consultar regularmente seu clínico
  •  Não fazer uso de medicamentos sem prescrição médica.

Fonte: Dra. Juliana Zanocco – Médica Nefrologista e membro da Equipe de Transplante Renal do Hospital Santa Marcelina