Descubra como prevenir os problemas de coluna na infância e adolescência

A transição do desenvolvimento infantil rumo à maturidade é uma fase que envolve muitas transformações físicas, emocionais, cognitivas e sociais na vida do ser humano e essas mudanças devem ser acompanhadas de perto de pelos pais, principalmente quando o assunto é a saúde da coluna.

Abaixo, o ortopedista Luiz Claudio Lacerda, cirurgião de coluna vertebral e professor da Faculdade de Medicina Santa Marcelina, explica dois fatores importantes e super atuais que podem causar problemas na saúde dos jovens.

Obesidade

De acordo com o estudo divulgado na revista científica “The Lancet”, em 2017, a taxa global de obesidade em crianças disparou nos últimos 41 anos. A prevalência de obesidade global em meninas saltou de 0,7% em 1975 para 5,6% em 2016. Em meninos, a alta foi ainda maior: saiu de apenas 0,9% em 1975 para 7,8% em 2016. Como consequência, 124 milhões de crianças e adolescentes, entre 5 e 19 anos, ao redor do mundo estavam obesos em 2016.

Jovens obesos podem ter alterações ortopédicas muito precocemente, sobretudo alterações posturais. “As chances deles terem dores e problemas ortopédicos, principalmente, em membros inferiores e coluna vertebral é muito maior, já que o excesso de gordura na região lombar interfere na postura, além de sobrecarregar as costas”, alerta o especialista.

Puberdade

Durante essa fase, esse público visa se encaixar no quadro aceitável da sociedade para serem ‘amados’. E com isso, muitas vezes, eles não compreendem que o corpo passa por muitas mudanças comuns e começam a adquirir vícios posturais que futuramente poderão causar a hipercifose, a hiperlordose, muitas vezes rotundas como uma má postura, deixando passar situações mais severas.

“Caso esses problemas não sejam tratados adequadamente poderão causar uma série de consequências à vida do paciente, tais como: dificuldade de concentração, fadiga, falta de flexibilidade, dores nas costas e nas pernas, limitação de movimentos e até problemas respiratórios”, explica o ortopedista.

Avaliação postural infantil

A fase da infância e adolescência é um momento interessante para que seja realizada uma avaliação postural nas crianças, técnica que permite diagnosticar desvios posturais.

“Devemos ficar atentos a posição corporal de nossas crianças, seja para observamos posições erradas e já corrigi-las ou para identificar o início de uma deformidade que se apresente de maneira sutil”, explica.

O ortopedista ainda alerta que algumas atividades físicas e esportes podem comprometer a saúde postural, como exercícios com muito peso, que podem gerar dor por excesso de força ou causar pequenos traumas repetidos. Por isso, é importante observar e acompanhar a vida da criança e do adolescente.

“Sempre que os pais tiverem alguma dúvida sobre a postura dos jovens é necessário consultar um especialista, e assim evitar alterações mais severas no futuro”, finaliza Luiz Cláudio.

Sobre o especialista: Dr. Luiz Cláudio Lacerda Rodrigues– Ortopedista– Mestre em medicina pela Unifesp e especialista em ortopedia, traumatologia e cirurgia da coluna vertebral pelo Hospital Santa Marcelina. Aprimoramento em cirurgia oncológica da coluna vertebral pelo Instituto Ortopédico Rizzoli. Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), professor da Faculdade de Medicina do Hospital Santa Marcelina e responsável pelo atendimento na Clínica L&L Ortopedia